O que é Growth Hacking?

Relativamente novo no mercado brasileiro, o Growth Hacking já é bastante utilizado fora do país, principalmente por startups do Vale do Silício, nos Estados Unidos. Traduzido para o português, o termo “growth“ vem do inglês e significa crescimento e a palavra “hacker“ , geralmente associada aos indivíduos que invadem redes de computadores, é na verdade a tradução para aquele indivíduo que se dedica para alcançar cada vez mais conhecimento, seja em sistemas, hardwares, negócios, vendas, entre outros.

Contextualizando, o hacker é um profissional que tem o objetivo de fazer com que os usuá­rios de um produto ou serviço aumentem, através de um processo escalável e repetível, vivenciado no universo das startups. Então, growth hacker é um profissional que utiliza técnicas para promover o crescimento de empresas, eles têm uma visão avançada dos negócios e sabem utilizar a tecnologia a seu favor, organizando e aproveitando todos as ferramentas para criar novidades e alcançar métricas de conversão.

Através dos conceitos desenvolvidos por Leonardo Lacerda, Co-fundador da 85 Labs Ace­leradora e líder da Anjos do Brasil – Núcleo Ceará, podemos entender o conceito “Growth Hacking” como uma maneira inteligente de ter ideias e soluções para o aumento de vendas e crescimento de marcas, através de experiências com usuários por meio de uma gestão de tecnologias inovadoras no ambiente digital.

Ferramentas do Growth Hacking

Dentre as diversas ferramentas utilizadas nesse processo pelos growth hackers, tais como: Marketing viral, Relações públicas, Relações públicas (não convencional), Marketing de busca, Anúncios digitais, Anúncios off-line, SEO (Search Engine Optmization),  Marketing de conteúdo, Blog de nicho,  Business development, Plataformas existentes (AppleStore, Spotfy, e PlayStore) e Eventos de negociação, encontra-se também o Email marketing.

O Email marketing, dentro do Growth Hacking,  é uma ferramenta essencial para fazer aquisição e retenção de clientes.

Você pode utilizá-lo para obter os feedbacks sobre seus produtos/serviços  através de formulários online, e também para fazer CTA (Call to action), pois essas chamadas para ações levarão o cliente em potencial para dentro do seu site, blog ou rede social.

A partir do momento em que você conhece os desejos de seu cliente e define metas, ações e conteúdos de relevância para esse público-alvo, consequentemente suas taxas de conversões irão aumentar.

Mas não se esqueça:

É interessante abordar os canais e testar quais se encaixam melhor na sua empresa. O Growth Hacking em si envolve várias áreas que vão além do marketing, como as operações empresariais, finanças e até recursos humanos. É necessário que as estratégias sejam pensadas em crescimento de escala, mas sem deixar de entender as necessidades dos consumidores, para que as interações com eles sejam as mais favoráveis possíveis, levando esses usuários a atrair novos usuários, viralizando a ideia no mercado.

Aplicação

Agora que você já conhece um pouco sobre Growth Hacking, que tal aplicá-lo em sua empresa e dividir conosco suas experiências e métricas?